Os melhores e os piores investimentos de agosto

Por Michael Viriato

Pelo segundo mês consecutivo o investidor que correu mais risco foi recompensado com maior retorno. No mês de agosto o mercado acionário liderou novamente os ganhos financeiros. O principal índice da bolsa de valores, o Ibovespa se valorizou 7,5% em agosto.

Na ponta inferior da lista, destaca-se o índice da bolsa americana que se valorizou 0,1%. Apesar de estar no fundo da lista, a bolsa americana não apresentou nenhum mês com resultado negativo em 2017. O dólar foi o segundo pior investimento do mês com valorização pouco abaixo da poupança.

Renda Variável – Ações
A variação melhor dos índices de ações brasileiras em relação ao principal índice acionário americano não foi um privilégio de nosso mercado. As principais bolsas dos países emergentes também apresentaram valorização mais forte e os analistas apontam que essa tendência relativa deve continuar. As bolsas americanas estão bem acima de seu máximo depois da crise financeira de 2008, mas várias bolsas de países emergentes ainda estão aquém do máximo alcançado naquele ano.

Para atingir o máximo alcançado no final de 2007, o índice que engloba as principais bolsas de países emergentes (MSCI Mercados Emergentes) ainda precisa subir 19%. Enquanto o índice S&P 500 está quase 60% acima daquele máximo. Veja no gráfico abaixo o desempenho dos dois índices.

Desempenho do índice de mercados emergentes, MSCI Mercados Emergentes, e do principl índice de ações americano, o S&P 500 (Fonte: Bloomberg).

Apesar da forte alta do Ibovespa, o índice de empresas de menor capitalização (SMLL) apresentou ganhos ainda melhores. Esses ganhos foram explicados em um comentário anterior no link.

Embora as recentes altas nos leve a ponderar sobre a sustentabilidade de novas valorizações, os estrategistas acreditam que ainda existe espaço para elevação do Ibovespa. Esse potencial é justificado dentre outros motivos pelas menores taxas de juros que impulsionam os investidores a tomar mais risco e melhora a perspectiva de lucro das empresas pela queda de suas despesas financeiras. Soma-se a isso a perspectiva de retomada da economia. Os indicadores de crescimento econômico mostram sinais de que já ultrapassamos o fundo do poço. Apenas o calendário eleitoral pode alterar esse humor.

Para aqueles investidores que perderam essa alta, uma boa maneira de se expor ao mercado com menor risco é por meio de fundos de dividendos ou de fundos multimercados, por exemplo, os da categoria Long and Short.

Juros
Está na hora de realizar ganhos nos títulos prefixados e referenciados à inflação de curto prazo. Conforme expliquei em post anterior, a curva de juros negociada no mercado já embute uma forte expectativa de queda da Selic pelo Banco Central. Apenas os títulos com prazo superior a 3 anos apresentam prêmios interessantes.

Moedas
As principais moedas, Euro e Dólar apresentaram valorização em agosto, mas essa alta não foi suficiente para recuperar a queda do mês anterior. O dólar ainda apresenta desvalorização no ano e, conforme divulgado no relatório Focus do Banco Central, a perspectiva segundo os economistas é que essa moeda não se valorize significativamente até o final de 2017, terminando o ano no mesmo valor do início.

Definição dos índices na tabela:
Renda Fixa

Poupança – Aplicação de renda fixa comercializada pelos bancos que rende TR+0,5% ou TR+70% da Selic quando essa taxa estiver menor que 8,5% ao ano.
CDI – O Certificado de Depósito Interbancário é negociado apenas entre os bancos. A Cetip calcula a taxa média e essa taxa é utilizada para atualização de diversas aplicações como CDB, LCI, LCA, CRI, CRA, debêntures e outros.
IMA-B – Índice calculado pela Anbima que representa a valorização de uma carteira de todos os títulos públicos federais indexados ao IPCA.
IMA-B5 – Índice calculado pela Anbima que representa a valorização de uma carteira de todos os títulos públicos federais indexados ao IPCA com vencimento menor que 5 anos.
IMA-B5+ – Índice calculado pela Anbima que representa a valorização de uma carteira de todos os títulos públicos federais indexados ao IPCA com vencimento maior que 5 anos.
IRFM – Índice calculado pela Anbima que representa a valorização de uma carteira de todos os títulos públicos federais prefixados.
IHFA – Índice calculado pela Anbima que representa a valorização de uma carteira de fundos multimercados.

Renda variável
Ibovespa – Índice calculado pela B3 que representa uma carteira teórica de ações com maior negociabilidade e valor de mercado na BM&FBOVESPA.
IDIV – Índice calculado pela B3 que representa uma carteira teórica de ações que que se destacaram em termos de remuneração dos investidores, sob a forma de dividendos e juros sobre o capital próprio.
SMLL – Índice calculado pela B3 que representa uma carteira teórica de ações de empresas de menor capitalização na BM&FBOVESPA.
S&P 500 – Índice que representa uma carteira teórica de 500 ações de maior valor de mercado americanas.
IFIX – Índice calculado pela B3 que representa uma carteira teórica dos fundos imobiliários negociados nos mercados de bolsa e de balcão organizado da BM&FBOVESPA.
Dólar – Representa a variação do câmbio Reais/ Dólar.
Euro – Representa a variação do câmbio Reais/ Euro.