Relaxa, alugar é uma boa decisão de investimento

Por Michael Viriato

Pesquisas apontam que o imóvel próprio é um dos principais itens na lista de desejos dos brasileiros. Entretanto, comprar um imóvel é uma boa decisão de investimento? O imóvel é um dos possíveis investimentos a formar o seu patrimônio. Portanto, a decisão sobre sua aquisição deve levar em consideração os mesmos critérios quando vai realizar qualquer outro investimento.

Segundo o Índice FipeZap o valor médio de venda dos imóveis nas principais cidades do país em julho de 2017 era de R$7.654/ m². Enquanto o valor médio do aluguel era de R$ 28,58/m². Entretanto, a compra e venda de um imóvel gera despesas adicionais de transferência e corretagem que elevariam o custo médio de aquisição em pelo menos mais 10%. Logo, considerando essas despesas, o aluguel médio mensal de um imóvel residencial representa uma proporção de 0,34% (=28,58/(7.654*1,1)) do custo de aquisição corrigido pelo IPCA.

Imagine que você tenha 35 anos e esteja se preparando para casar e constituir família. Para aquisição de um imóvel, você provavelmente terá que contrair um financiamento. Supondo que o imóvel desejado tenha o valor de R$500 mil, você terá que dar uma entrada de pelo menos R$100 mil e financiar o restante. Admita que tenha escolhido um financiamento por 240 meses e que o imóvel se valorize na taxa de variação da inflação de 4% ao ano.

Considerando as taxas de financiamento vigentes de 10% ao ano, o valor da prestação inicial do financiamento será de R$4.860,00 e no final do financiamento a prestação será de R$1.700,00. Assim, ao final dos 20 anos, terá pago um total de R$ 884.406,73 e seu imóvel que inicialmente valia R$500 mil deve se valorizar para R$ 1.095.561,57, ou seja, o equivalente a 4% ao ano. O gráfico abaixo mostra a evolução do valor do imóvel e do valor pago ao longo dos meses.

Gráfico da evolução do valor do imóvel, valor pago no financiamento e do investimento da diferença entre a prestação do financiamento e o aluguel.

Imagine que em vez de adquirir, resolva alugar o mesmo imóvel, pagando 0,34% do valor do imóvel ao mês, e a diferença entre o valor da prestação e do aluguel seja investida em aplicações que rendam 0,4% ao mês mais a inflação. Esse retorno é menor que o de um título público referenciado a IPCA com vencimento de 20 anos.

O primeiro aluguel será de R$1.700,00 e o aluguel no final dos 240 meses será de R$3.700,00. Depois de 14 anos, os rendimentos financeiros do valor acumulado já seriam suficientes para pagar seu aluguel. No gráfico acima, pode acompanhar na linha contínua de cor laranja o valor acumulado de seus investimentos. Ao final dos 20 anos, a soma de suas aplicações financeiras será 35% superior ao valor do imóvel, ou seja, poderia adquirir o imóvel e ainda sobrariam recursos aplicados. Assim, chegamos a um segundo cenário de decisão. Se você tem o dinheiro para comprar e não precisa financiar, vale a pena adquirir o imóvel?

Seguindo o mesmo raciocínio, se possui um investimento de R$500 mil e o usa para comprar um imóvel, você abdicaria de uma rentabilidade maior em aplicações financeiras. Optando por alugar, pode utilizar parte do rendimento dessas aplicações financeiras para pagar o aluguel e o capital continuaria se valorizando. Veja pelo gráfico abaixo que ao final de 20 anos terá um montante em aplicações financeiras 25% superior ao valor do imóvel.

Gráfico da evolução do valor do imóvel de R$500 mil e de uma aplicação financeira na qual parte do rendimento é utilizado para pagar o aluguel.

Além da vantagem financeira demonstrada acima, o aluguel traz a flexibilidade de mudança. No início da vida você provavelmente vai mudar de endereço devido ao crescimento da família e troca de emprego. No final de sua vida, provavelmente deverá ter de vender seu imóvel para que os rendimentos desse financie o restante de sua aposentadoria. Logo, se tiver aplicações financeiras ao invés de um investimento imobilizado, não terá custos devido à venda.

Portanto, alugar em vez de comprar imóvel é uma boa decisão de investimento, ou seja, a afirmação de que “alugar é jogar dinheiro fora” é uma falácia. Vale ressaltar, que não consideramos outros elementos intangíveis que fazem parte da decisão de compra como a satisfação pessoal e a segurança da família. Além disso, pesa a favor da aquisição do imóvel o fato de ela funcionar como uma poupança forçada, pois poucos possuem a disciplina de poupar.

Se mesmo assim ainda quiser investir em imóveis, veja uma forma mais eficiente de realizar essa aplicação em meu artigo no link. Leia também outras opiniões sobre esse tema nos artigos de Vinicius Pereira e Carolina Muniz.