Cinco dicas para cumprir as principais promessas de ano novo

Por Michael Viriato

O ano já começou, ou seja, passou o momento das promessas e está na hora de colocar em prática ações para fazer com que suas metas sejam atingidas. Existem dois compromissos que usualmente são prometidos antes da virada do ano, mas dificilmente são cumpridos ao longo do ano seguinte. Apresento algumas dicas para te ajudar a alcançar esses objetivos.

Quitar dívidas
Não por acaso, uma das mais populares promessas de ano novo é quitar as dívidas. Segundo pesquisa mensal de endividamento e inadimplência do consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), no mês de novembro de 2017, o percentual de famílias endividadas subiu ao seu máximo dos últimos dois anos, atingindo 62,2% do total. O gráfico abaixo mostra a evolução mensal desse percentual desde 2010 quando a pesquisa foi iniciada.

Evolução mensal do percentual de famílias endividadas desde janeiro de 2010 a novembro de 2017.
Fonte: Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor da CNC.

Segundo a pesquisa acima, 77% das famílias possuem endividamento com cartão de crédito. Portanto, para a maior parte das famílias, a melhor dica para reduzir o endividamento é cancelar os cartões de crédito, ou pelo menos, mantê-los em casa. O simples fato de não ter o cartão disponível para a realização de compras por impulso, reduzirá os débitos por esse meio.

Outra dica para reduzir o endividamento é trocar a dívida mais cara do cartão de crédito ou do cheque especial por outras que possuam uma menor taxa de juros, por exemplo, a do crédito ao consumidor. Os altos juros dificultam o pagamento da dívida e a redução dessa despesa de juros permitirá que você encerre mais rapidamente esse débito.

Uma alternativa para reduzir o custo da dívida é por meio do financiamento de seu automóvel. Vale a pena vender seu carro para quitar a dívida de cartão de crédito. Se realmente precisa de um veículo, compre outro de forma parcelada. Como a dívida de financiamento de automóvel é mais barata, estará reduzindo a despesa financeira. Aproveite para avaliar se precisa do carro, veja alternativas no artigo que escrevi.

Economizar mais
A principal razão para não se conseguir economizar é que se deixa essa atividade como a última do mês. Com o acúmulo das despesas ao longo do mês, provavelmente, muito pouco do salário sobrará para investir. Portanto, a primeira dica é priorizar o investimento colocando ele na frente de outras despesas.

Investir é uma questão de hábito e este só é adquirido quando o realiza com periodicidade e por um longo tempo. Isso pode ser feito de forma espontânea ou compulsória.

De forma espontânea e assim que recebe o salário, você pode destinar uma pequena parcela de sua renda para uma aplicação. Fazendo uma analogia, quando se inicia um exercício na academia, se coloca pouco peso e lentamente aumenta essa carga. O mesmo deve ser feito com o investimento. Inicie investindo uma parcela de apenas 1% de sua renda mensal e vá aumentando mensalmente esse percentual. Depois de dois anos estará poupando mais de 20% de seu salário, mas o fato de ir gradualmente elevando, permitiu que adaptasse suas despesas. Para avaliar quanto pode reduzir de despesas e o que pode ser poupado, é imprescindível que realize um orçamento. Mostro como realizar esse orçamento no artigo no link.

Apesar do ato de poupar mensalmente parecer simples, poucos conseguem manter a disciplina de forma espontânea. Assim, pode criar mecanismos para forçar o investimento. Você pode contratar um plano de previdência que debite automaticamente um valor de sua conta na data em que seu salário é pago ou realizar o investimento programado em títulos públicos na plataforma do Tesouro Direto. Para escolher seu plano de previdência, veja algumas dicas no artigo que escrevi anteriormente. Para a escolha dos títulos públicos, leia as orientações que apresento no link.

Seguindo essas dicas, ao final de 2018 verá que suas promessas para o ano de 2019 serão ainda mais audaciosas.