Tesouro Direto: por que a maioria está resgatando e o que você deveria fazer?

Zé Vicente

Segundo dados do Tesouro Nacional, desde agosto de 2017 os investidores têm mais resgatado do que aplicado em títulos na plataforma Tesouro Direto. Três razões explicam esse movimento dos investidores. Entretanto, o que parece ser algo ruim, na verdade é uma oportunidade que está sendo desperdiçada. Conforme pode ser visto no gráfico abaixo, depois de […]

Leia Mais

Marcação de títulos a mercado ou na curva; como isso afeta seu portfólio?

Investidores que possuíam títulos referenciados a IPCA marcados na curva, observaram em 2017, um retorno pior que aqueles marcados a mercado. Esse fato, faz com que se imagine que a marcação a mercado dos títulos sempre produza uma rentabilidade maior. Entretanto, a vantagem no curto prazo que a marcação a mercado teve foi apenas uma […]

Leia Mais

Onde investir em 2018

Revertendo o espaço perdido nos meses anteriores, no mês de dezembro o mercado financeiro no Brasil acompanhou o bom humor internacional. O mês de dezembro foi um reflexo do comportamento do ano, ou seja, um período com forte volatilidade, mas em que os mercados de risco apresentaram valorização que compensou este risco. O ano de […]

Leia Mais

Como escolher seus títulos no Tesouro Direto

Nos últimos trinta dias, 90% dos títulos públicos federais disponíveis a venda na plataforma do Tesouro Direto (TD) apresentaram rentabilidade negativa. Isto quer dizer que o investidor que aplicou há trinta dias tem hoje menos do que investiu. Com a queda da taxa Selic, ficou mais difícil e arriscado escolher onde investir entre os tipos […]

Leia Mais

Você sabe quais os riscos da renda fixa?

A figura acima apresenta na mesma escala quatro gráficos de retornos acumulados em 20 dias úteis – aproximadamente um mês – de ativos financeiros diferentes desde janeiro de 2014. Um deles é o gráfico de um título público federal de renda fixa vendido por meio da plataforma do Tesouro Direto. Você saberia dizer qual deles […]

Leia Mais

Alternativas à poupança

Pelo gráfico acima podemos verificar que a poupança nos últimos seis anos quase não bateu a inflação. Acumulando as rentabilidades de 2011 até o final do primeiro semestre de 2017, as aplicações que renderam o CDI tiveram uma valorização líquida de IR de 79%, quando considerada uma alíquota de IR de 15%. Entretanto, no mesmo […]

Leia Mais